Quem pode atuar como psicanalista?

Postado em 16 de setembro de 2016
80211 Views 0
Quem pode atuar como psicanalista?

Embora seja uma abordagem teórica bastante popular e com grande tradição, quando se fala em Psicanálise, dúvidas surgem a respeito dos requisitos necessários para atuar como tal.
Os mitos que circulam são muitos: algumas pessoas confundem o psicanalista com o psicoterapeuta ou psicólogo, outras já ouviram falar que qualquer um que tenha interesse pode fazer a formação em Psicanálise.
Todavia, quem de fato pode atuar como psicanalista? Para desmistificar esse assunto de uma vez por todas, no post de hoje, explicaremos o que é necessário para atuar nessa abordagem. Acompanhe!


Os três pilares básicos de um psicanalista


A discussão em torno da formação em psicanálise se dá em larga escala. Existem diferentes linhas de atuação que acabam desencadeando certa confusão no entendimento de leigos.
A Psicanálise é uma teoria fundada pelo médico neurologista Sigmund Freud, a qual foi ramificada em diversas linhas devido à releitura feita por outros teóricos. Jacques-Marie Émile Lacan, por exemplo, foi um dos estudiosos da Psicanálise de Freud. Hoje, a sua orientação lacaniana é referência para um grande número de psicanalistas..
Embora essas diferenças teóricas possam existir, influenciando diretamente na forma pela qual um psicanalista vai se formar e atuar, existem três requisitos básicos e indispensáveis para qualquer psicanalista, encontrados em todas as modalidades. São eles:


Análise pessoal;
Cursos teóricos;
Supervisão Clínica.


Psicologia e Psicanálise


Quem já possui uma graduação em Psicologia, certamente, entrou contato durante a faculdade com a teoria da Psicanálise. Porém, apesar de o Conselho Federal de Psicologia reconhecer a prática de psicanalista como uma das atribuições possíveis de um psicólogo, isso não significa que, para ser psicanalista, é preciso ser psicólogo, ou, da mesma forma, que todo psicólogo deve ser psicanalista.
Na verdade, a prática de psicanalista pode ser agregada à profissão de psicólogo. Por exemplo, um psicoterapeuta, que é o psicólogo que atua com o trabalho terapêutico, pode associar à sua prática o título de Psicanalista, podendo divulgar seu nome com os dois títulos juntos.
Tal situação não ocorre em outras práticas terapêuticas que não sejam reconhecidas pelo conselho federal. Por isso, muitas vezes, acredita-se que somente psicólogos podem atuar como psicanalistas. O que ocorre é que, por ser uma abordagem bastante eficaz e com uma base teórica muito sólida, muitos psicólogos optam por segui-la como fundamentação de sua prática clínica.

Estudo contínuo e supervisão clínica


Independentemente da formação que a pessoa procure, um psicanalista deve estar em constante aperfeiçoamento, sendo essencial o estudo contínuo da teoria, a participação em congressos e palestras, além da produção de conteúdo científico.
Além disso, é necessário que o profissional passe por uma supervisão clínica, que deve ser feita por outro psicanalista, o que é imprescindível para que o andamento de casos que ele esteja atuando corra da melhor forma possível tanto para o analista quanto para o analisando.
É importante, também, ficar atento aos cursos oferecidos que não seguem os três pilares básicos da Psicanálise. Por não ser ainda regulamentada no Brasil como profissão, ocorrem muitas ofertas que fogem à ideia central da teoria. Embora eles possam parecer mais fáceis e rápidos, podem resultar em uma má reputação ou não reconhecimento dentro da área.
Restou alguma dúvida? Deixe seu comentário!